Mundo Plus Size

Sou Beatriz Peca, Ariana, mãe, Analista de projetos, Blogueira e Influenciadora digital.

O Intuito do Blog é dar informações de moda, beleza, saúde, auto estima ou qualquer assunto que abranja o mundo plus size.

O Blog foi criado no início de 2013, mas até então era uma página no Facebook, a partir de uma pasta de fotos com modelos de roupas pelos quais eu queria ter e não tinha informação de onde encontrar.

O processo de inicio do Blog foi meio doloroso e bem pessoal, em 2012 eu passei por um momento longo e severo de aceitação que incluía vários sentimentos antes disso, auto rejeição, preocupação excessiva com a opinião alheia, que inclusive me magoava muito, desde a infância, apelidos, estereótipos e julgamentos, eu mesma me magoava por não me aceitar.

Mas aí eu tive um “estalo”, tudo começou em 19 de Julho de 2012, eu tinha um casamento pra ir em um sábado de manhã, estava frio e eu tinha engordado, não tinha informação de absolutamente nada, na verdade me recusava ter, jamais iria procurar lojas de tamanhos grandes, seria assumir que era gorda, enfim, dei uma rodada nas lojas de departamento e saí deprimida de todas as lojas e então pensei, isso não é o certo!

Postei no face perguntando se alguém tinha alguma ideia de look para a ocasião e a noiva viu, a noiva é uma amiga minha muito querida e “bem magrinha”, a querida Gislaine, ela me enviou umas fotos de modelos de roupa, e gente…. aquilo caiu na minha cabeça de uma forma que acho que até hoje ela não tem noção do bem que me fez, eu olhava as fotos e não acreditava que existia moda pra gente gorda naquele nível, parecia um sonho, parecia uma libertação daquelas amarras da sociedade, e fui cortando a linha tênue que estava presa em meu pescoço que me forçava acreditar que o gordo era “feio”, o gordo era “doente”, o gordo “não poderia ser amado”, não poderia ser aceito e muito menos “ser feliz”!

Garotas plus size blazer saia estampada caixadajackie

Eu sempre fui muito vaidosa, então ter engordado mexeu muito comigo na ocasião, ainda que eu nunca tenha sido “magrinha”, pelo menos não naturalmente, sempre tive cintura marcada, pouca barriga, e quando engordei meu corpo modificou, eu até me arrumava no começo, sempre maquiada e arrumada, um dia estava me achando linda, saí pra um compromisso e encontrei uma grande amiga e ela disse que eu estava linda, mas a do lado comentou “mas dá pra melhorar”, pois é, eu realmente carregada o peso de sempre “ter que melhorar” para agradar os outros, para não ser julgada, mesmo eu me sentindo bem, teria que fingir que não me sentia porque se aceitar como era não era o correto.

Mas enfim, a partir daqueles modelos que a noiva me apresentou eu conheci o termo “Plus Size” e “Flúvia Lacerda” e fui fuçando no Google. Eu já tinha ouvido mas não sabia que se referia a tamanho de roupas, e muito menos que existia um nicho de mercado “preocupado” em ter essa moda, que absurdo seria até bem pouco tempo atrás alguém se preocupar em “vestir-se bem sendo gordo”, a gente não tinha que ter roupa, a gente tinha que emagrecer e ponto, se você reclamava que não encontrava roupa a resposta era bem simples e objetiva “Também!! gorda desse jeito! Quer arrumar roupa onde?” E pra mim o certo era isso, minha mãe mesmo me ensinou isso, eu cresci ouvindo essa frase, mesmo com a magreza da adolescência eu tinha quadris largos e desde essa época sempre foi muito complicado encontrar roupa pra mim, principalmente as da moda, calças jeans e etc, para ajudar a confecção foi encolhendo, as calças ficando baixas e eu me sentia “reprimida” dentro de uma calça que não era para meu corpo, então jogava uma blusa bem larga pra ficar a vontade, mas é óbvio que não ficava, nem de corpo e nem de alma.

fluvia-vogue-italia-4Mas aí eu olhava para Fluvia e pensava, gente… Quem é essa mulheeeeeeeeeeeeeer meu Deus? porque ela esta em todas as fotos de roupas grandes, e aí eu descobri que existia “Modelo Plus Size”, gente, como assim modelo gorda? Pra mim isso era surreal, um mundo paralelo, o “MUNDO PLUS SIZE”, entendeu?

Eu nasci e cresci em uma sociedade que me dizia que ser gordo era feio, como que um gordo poderia ser modelo? Pois então, a Fluvia é uma referência pra mim de que o amor próprio transforma e desintegra qualquer estereótipo e julgamento, pelo menos dentro da gente, porque a sociedade ainda está longe disso, a verdade é que ela me deu força pra me aceitar. Através dela conheci a marca La Mafê, ahh que saudades da La Mafê!

mundoplussize-01

Enfim, a partir dessas procuras da tal novidade chamada “Roupa Plus Size” eu encontrei no Google o Blog Mulherão e a coluna da Keka, Ahhh gente, aí foi o “Batismo”, quantas roupas, quantas dicas de moda, quantas gordas lindas, quanta auto-estima, quantas gordas felizes e bem resolvidas, aí comecei ler os textos da Keka, chorei tanto, nossa, me libertei tanto também, comecei me olhar com outros olhos. E através delas conheci diversas marcas de roupa plus size. Essas duas referências foram muito importantes para mim.

Mas aí eu queria mais, mais referências, mais palavras de auto estima, mais opções de estilos!!!
E encontrei Ju romano com sua moda divertida que até então não tinha noção de onde encontrar, tá aí outra referência e que me ajudou no meu processo de amor próprio e de como me vestir, diversificar e ficar linda, moderna, feliz e realizada.

mundoplussize-02Enfim, fui me aproximando das marcas e de possibilidades de me vestir bem e me sentir linda e fui guardando em uma pastinha do computador, os modelos de roupas e os sentimentos bons dentro de mim e as lições de auto-estima.

E como em tudo que gosto eu me aprimoro, então fui estudando cada dia mais sobre o mercado, sobre marcas, modelagem, tecidos, tudo pra mim a princípio. Aí aquela pastinha estava ficando muito grande e eu pensei, vou colocar tudo em um álbum do meu face pra não perder, então pensei, putz, mas esse “mundo” é meu, ninguém vai entender nada, é meu mundo novo, meus amigos do Facebook não são todos gordos, e porque não dividir ele com outras pessoas que sofrem com o mesmo assunto como eu sofri?

fluvia_michael-creagh-06_altaAssim nasceu minha página no face em 2013, timidamente, com alguns modelos de roupa e com fotos da Fluvia que era minha inspiração, a página cresceu e tomou uma proporção que eu não imaginava, mas que me deixou muito feliz e surpresa, pois além do trabalho com o blog, tenho minha profissão, minha casa e minha filha que crio sozinha, então nem sempre consigo escrever na quantidade que gostaria, mas faço o possível pra dar o máximo de informações possíveis, com muito carinho!

Entre e fique a vontade, aqui é seu MUNDO também!;)